logo RCN

Cárie: por que, mesmo escovando bem os dentes, algumas pessoas desenvolvem a doença?

A cárie é um dos probleminhas bucais mais temidos, principalmente pelo incômodo que causa. Normalmente a sua formação está relacionada a uma higiene bucal ineficiente. Mas há casos em que, mesmo exercendo uma boa escovação, a cárie ainda aparece. É bem chato, né? Você tenta fazer tudo certo, e quando menos espera, a monstrinha já se instalou no seu sorriso. O que resta é sair correndo para o dentista. Mas por que isso acontece?


Entenda a relação da cárie com a higiene bucal

Não é novidade que a presença ou não de cáries está diretamente relacionada à escovação do paciente. Quando a placa bacteriana não é removida adequadamente, várias bactérias se instalam no local, e então se inicia o processo de desmineralização do dente, o que caracteriza o estágio inicial da cárie. Para se certificar de que a higiene está sendo feita corretamente, o paciente não deve se esquecer de nenhuma das etapas, que, além da escovação, incluem também o uso do fio dental e enxaguante bucal. Em caso de dúvidas, basta procurar e seguir um passo a passo ou perguntar ao seu dentista como deve ser feito!

A cárie pode ocorrer mesmo com uma boa escovação?

Às vezes o paciente pode crer que está escovando os dentes da maneira certa, mas no fundo não é isso que está acontecendo. Por isso é preciso avaliar a qualidade da escovação por um profissional e observar se o hábito do fio dental é frequente. Além disso, uma dieta cariogênica também pode influenciar o desenvolvimento da doença, já que os alimentos consumidos nessa dieta servem basicamente para "alimentar" as bactérias causadoras da cárie. Ela só se desenvolve quando há placa envolvida. Então, mesmo que o paciente relate bons hábitos, é necessário investigar e verificar onde está a causa do problema.

Surgiu uma cárie. O que fazer?

Se uma cárie for detectada, a primeira atitude do paciente deve ser procurar um especialista no assunto para que seja realizada a intervenção o quanto antes. O dentista será responsável por diversas medidas para verificar qual a melhor forma de tratamento: radiografia para definir profundidade; traçar plano de tratamento; avaliar se é profunda, se será necessário canal ou se já comprometeu o dente. É por isso que, após a definição do diagnóstico, o paciente deve ser encaminhado para o especialista mais indicado.

Prevenção é a palavra-chave!

A melhor maneira de evitar a formação de cáries é focar nos cuidados com a sua higiene bucal e com a sua alimentação. Se você tem dúvidas de como fazer isso, pode ficar tranquilo: separamos três dicas fundamentais que vão ajudar você. Confira:

1) escovação e fio dental após todas as principais refeições;

2) idas regulares ao dentista;

3) redução do consumo de doces e menos guloseimas durante o dia.

Anterior

É possível ter cárie em próteses dentárias?

Próximo

Minha gengiva sangra quando uso fio dental: devo parar?

Deixe seu comentário