logo RCN

Construção da ponte da Guarda será autorizada na próxima terça-feira em Tubarão

Uma ponte rodoviária de concreto ligando as duas localidades é uma reivindicação local de mais de quatro décadas

A ordem de serviço para execução das obras da Ponte Vereador Edison Fernando Peicher de Carvalho, que ligará as duas Guardas sobre o Rio Tubarão, será assinada na próxima terça-feira, dia 29. O ato será realizado no salão paroquial da igreja Santa Anjo da Guarda, na margem esquerda, às 18h.

A obra será executada nas imediações da ponte pênsil, entre a Rua Plácido Braz Fernandes, na margem esquerda, e a SC-390 na margem direita. A vencedora da licitação foi a empresa Traçada, de Erechim, que construiu em Tubarão e Ponte Prefeito Paulo Osny May e está finalizando a construção da Ponte Prefeito Stélio Cascais Boabaid, entre Tubarão e Capivari de Baixo. O investimento é de R$ 21.336.236,15, com recursos do Finisa.

A ponte terá 175 metros de extensão, duas pistas de 3m80 de largura cada, passagem para pedestres nos dois lados e ciclovia de em um dos lados. Com os acabamentos e a barreira de proteção, a estrutura terá 12m80cm de largura.

O nome oficial para a obra é uma homenagem ao saudoso vereador Edison Fernando Peicher de Carvalho, liderança política da região da Guarda que sonhava em ver na comunidade uma ponte no Rio Tubarão.

Uma ponte rodoviária de concreto ligando as duas localidades é uma reivindicação local de mais de quatro décadas. Hoje, motociclistas e motoristas de veículos de passeio, ônibus ou caminhões que precisam atravessar o Rio Tubarão nessa região são obrigados percorrer cerca de oito quilômetros até a ponte Cavalcanti, na BR-101, ou quase sete quilômetros até a chamada ponte baixa, na cidade de Pedras Grandes, para fazer a travessia.

Presidente da Câmara de Sangão busca recursos para pavimentações na Alesc Anterior

Presidente da Câmara de Sangão busca recursos para pavimentações na Alesc

Moraes nega pedido do PL e condena coligação de Bolsonaro a pagar multa de R$ 22,9 milhões Próximo

Moraes nega pedido do PL e condena coligação de Bolsonaro a pagar multa de R$ 22,9 milhões

Deixe seu comentário