Segunda-feira, 24 de junho de 2024
Tubarão
19 °C
12 °C
Fechar [x]
Tubarão
19 °C
12 °C

COLUNISTAS

O favorito e a disputa por Moisés

08/08/2023 20h46 | Atualizada em 08/08/2023 20h46 | Por: Willian Reis
Willian Reis/Folha Regional

“Missão cumprida”, disse o vereador Maurício da Silva (PP) ainda no plenário, cumprimentando com aperto de mãos alguns de seus colegas, sentados nas cadeiras ao lado da sua, no final da sessão extraordinária desta segunda-feira, dia 7, que elegeu por meio de votação indireta os novos ocupantes do Poder Executivo de Tubarão.

Foi uma noite histórica, de casa cheia na Câmara, porque afinal não é sempre que os vereadores são obrigados a se reunir para eleger prefeito e vice após a renúncia dos titulares do cargo, como aconteceu em Tubarão com a saída de Joares Ponticelli e Caio Tokarski, tornados réus na Operação Mensageiro – e turbulenta, na medida do possível, inclusive com o prenúncio do início da tarde de que a disputa pudesse virar briga na justiça com um pedido de liminar para sua suspensão, que não avançou.

Antes mesmo da votação, ainda na sessão ordinária, quando se debatia um projeto alheio à eleição indireta, o plenário assistiu a alguns embates entre Nilton de Campos e José Luiz Tancredo, já logo cedo desferindo sua saraivada de críticas ao governo.

Por ter sido uma eleição indireta, matemática, decidida entre 15 vereadores, com uma Câmara alinhada ao governo, tinha-se como certo, desde o início, o favoritismo de Jairo Cascaes, até pouco tempo secretário de Gestão no governo Ponticelli. Mas é que o jogo só termina quando acaba… Até mesmo o próprio Jairo Cascaes, dias antes, em um evento que reuniu caciques de peso do PSD, não escondia a ansiedade com a possibilidade, cada vez mais real, de se tornar prefeito, ainda que para um mandato-tampão. Calculava então 10 votos, o que de fato se confirmou nesta segunda-feira, mas mantinha um pé atrás e os olhos bem abertos. “Muita coisa pode mudar”, comentou naquela reunião do partido de dias atrás.

De volta ao futebol, um jogador daqueles marrentos, provocadores, diria que “deu a lógica”. Em uma eleição decidida entre vereadores venceu a chapa da situação em uma Câmara onde o governo tem maioria. Deu a lógica, mas isso não quer dizer que não houve articulação e que tudo teria se dado de forma natural. José Luiz Tancredo, ao anunciar seu voto, mas já reconhecendo a derrota, citou a articulação vitoriosa do consultor político Laércio Menegaz Júnior.

Fora do plenário, apoiadores da chapa de oposição assistiam à sessão em um telão. No início da noite eles também já davam como certa a vitória de Jairo Cascaes. Houve entre eles quem dissesse que faltou a Tancredo trazer para si Moisés Nunes, para tê-lo como vice e assim formar uma chapa, segundo eles, com mais chance de derrotar a situação. Moisés Nunes, geralmente discreto na Câmara, foi alçado a um papel de destaque. Depois de eleito, Jairo Cascaes só começou a sua entrevista coletiva, diante do batalhão de repórteres, com o vice ao lado.

Eleição indireta

18/07/2023 20h27 | Atualizada em 21/07/2023 18h06 | Por: Willian Reis

A eleição indireta para prefeito e vice de Tubarão, como todo pleito eleitoral, depende de capacidade de articulação, mas parece ser também uma questão matemática. Vence a chapa, na votação do dia 7, que obtiver maioria simples, ou seja, pelo menos oito votos. Isso quer dizer que, como o governo tem maioria na casa, é pouco provável, considerando a frieza dos números, que ocorra algo fora da atual configuração, com o poder saindo das mãos da situação. 

De olho na cadeira

Nos bastidores, claro, a briga deve esquentar, antes de se chegar a um consenso. A possibilidade de se tornar prefeito, nem que seja por cerca de um ano e meio, mexe com ambição e projetos políticos. Alguns nomes estão na mesa, e há quem aponte como favorito o atual presidente da Câmara, Jairo Cascaes, do PSD. 

Dois grupos

Na tribuna nesta segunda-feira, Zé Tancredo, do MDB, falou em disputa entre dois grupos: o que quer manter a atual situação e outro que pretende se apresentar como oposição. Nesse caso o próprio Tancredo é um nome natural de alternativa, pela sua posição dos últimos anos. Na última sessão, as entrelinhas de sua fala mostraram o discurso de alguém que está disposto a ir para a disputa. PSDB hoje, também de oposição, pode sugerir o vereador Denis Matiola. Mas, por enquanto, nada, em nenhum lado, está definido.

Parabéns na Câmara

Ainda na sessão desta segunda-feira Zé Tancredo puxou um “Parabéns a você” na tribuna. Mas quem estava de aniversário não era ninguém, não. O vereador lembrou que no dia seguinte faria um ano que o município perdeu a Certidão Negativa de Débito, inviabilizando a obtenção de recursos, como os R$ 5 milhões para os moradores do Km 60 que perderam suas casas no ano passado, durante a enchente de maio.

A carta do dr. 

As cartas de renúncia, mais que obrigação formal, podem se tornar, pela forma e conteúdo, documentos para a posteridade. Com a onda de renúncias entre os prefeitos envolvidos na Operação Mensageiro, seus termos de renúncia também vieram a público, comunicando mais que a desistência do cargo. Segunda-feira foi a vez de Vicente Corrêa Costa, que afirmou se sentir “uma figura fantasmagórica assombrando os legisladores e o paço municipal”. Não se sabe se a substituta de Vicente concorda com a imagem. Mas é como se fosse. Márcia Roberg Cargnin, alçada à prefeita, deve buscar impor sua marca à gestão, o que parece estar disposta a fazer. Mas terá também outro desafio: livrar-se do “fantasma” do antecessor, de quem era, até pouco tempo atrás, a sua vice-prefeita.

Moisés no ataque

Carlos Moisés usou suas redes sociais para alfinetar Jorginho Mello. Mostrou as obras paradas na Rodovia Ageu Medeiros por falta de recursos.

Prefeito interino 

04/07/2023 20h07 | Atualizada em 04/07/2023 20h07 | Por: Willian Reis

O que já podia ter sido discutido na semana passada entre os vereadores de Tubarão acabou ficando para a última segunda-feira. Pela segunda vez seguida a Câmara recebeu e analisou em regime de urgência pedido de afastamento do prefeito interino Gelson Bento. E pelo mesmo proponente. Isso porque na primeira versão os vereadores acusaram falta de provas para sustentar a denúncia e eventual prosseguimento na Casa. Agora o processo chegou em um calhamaço de 65 páginas. Em ambas as versões o centro da denúncia é o artigo 55 da Lei Orgânica, que trata de vedações ao prefeito. Sendo Gelson Bento interino, ele se enquadraria neste artigo?

Vale o escrito

Se, como no jogo de bicho, vale o escrito, o artigo da lei municipal não cita a condição de interino; portanto, ele não caberia para Gelson Bento. Ao justificar seu voto a favor da denúncia (o único), Tancredo, do MDB, discordou da interpretação. Defendeu que pouco importa se interino ou não. Era, claro, uma resposta aos vereadores dr. Jean e Maurício da Silva, ambos da base do governo, que afirmaram que o artigo só vale ao prefeito eleito, no caso Joares Ponticelli. 

Brecha

Outro ponto também em discussão na segunda-feira: se o cargo de Gelson Bento na Cergal, para o qual de fato foi eleito, também pode ser considerado eletivo, uma vez que prefeito não pode acumular cargo ou mandato eletivo. Como a letra fria da lei tem brecha, e é um pouco vaga quanto a isso, nova divergência aqui. Com denúncia mais alentada ou não, e dessa vez ela deixando de lado prazos de uma nova eleição que teria de ser convocada ou não – de qualquer forma o governo ganhou com folga mais uma queda de braço.

Elogios

No despacho que soltou Joares Ponticelli, a desembargadora Cinthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaefer amenizou um pouco o tom. Se antes reforçava trechos da denúncia contra o prefeito, e mostrava espanto com as acusações, dessa vez a relatora elogiou Joares e seu comportamento na prisão. Bem diferente de outros, de menor “patente” – fez questão de destacar. Em relação a Caio Tokarski, porém, manteve-se firme em sua diatribe contra o vice, que, aliás, manteve detido.

Nos bastidores

Algumas lideranças políticas articulam a formação de um bloco para a eleição em Tubarão. A ideia é se apresentar como alternativa ao atual governo. Por enquanto, sem definições. Há uma avaliação de que Carlos Moisés estaria em alta no eleitorado local, rivalizando com Soratto. No entanto, não se sabe se Moisés será mesmo candidato. Precisa de base forte aqui. PL deve ampliar seus filiados e pode trazer o vereador Felippe Tessmann, hoje no PSC. 

Lagoa do Arroio Corrente

27/06/2023 19h52 | Atualizada em 27/06/2023 19h52 | Por: Willian Reis

O último verão em Jaguaruna assistiu à polêmica do acesso à Lagoa do Arroio Corrente. É através de um terreno particular, onde também funciona uma lanchonete, que motos e carros podem chegar à lagoa. Até que a proprietária do imóvel decidiu taxar a circulação dos veículos – R$ 20 a diária para carros e R$ 5 para motos, de modo que os recursos reverteriam em benfeitorias para o local. Houve quem não gostasse da taxação. A queixa de dois veranistas acabou chegando ao Ministério Público.

Estacionamento pago

Há algumas semanas a 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaguaruna instaurou inquérito civil para apurar o caso. Estão sendo questionados órgãos como o próprio município de Jaguaruna, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental e Instituto Municipal do Meio Ambiente. 

Estacionamento pago II 

O Ministério Público cita também um mirante construído pela prefeitura, por meio da Secretária Municipal de Esporte e Turismo, em 2021, para acomodar visitantes no local. Ou seja, a promotoria quer saber se não apenas a limitação do acesso à lagoa está regular, de acordo com as determinações dos órgãos competentes, como também agora questiona se o mirante edificado no local pelo Poder Executivo de Jaguaruna possui autorização ambiental. A conferir o desenrolar desta história.

Processos suspensos

Está suspensa a licitação para contratação de ônibus para o transporte escolar em Jaguaruna. Muita gente torceu o nariz para a proposta. Agora o município alega que houve erro na contagem da quilometragem das rotas. Outra licitação também suspensa é a que contrataria empresa para demolição de um prédio no Camacho, com alto risco de desabamento. Uma das concorrentes discordou do método escolhido (por implosão) e sugeriu o sistema tesoura hidráulica, a seu ver bem mais seguro. Ambas as licitações ainda não tiveram divulgados os novos prazos.

Mensageiro

A desembargadora Cinthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaefer, relatora da Operação Mensageiro no TJSC, acatou requerimento de Darlan Mendes da Silva, ex-gerente de Gestão de Tubarão, para participar presencialmente das audiências de instrução. A primeira ocorreu nesta segunda-feira. As outras duas, em Tubarão, ocorrem nos dias 10 e 11 de julho. Já o vice-prefeito Caio Cesar Tokarski teve deferido o seu pedido de dispensa de comparecimento nas audiências.

Festa da Melancia

A Festa da Melancia, em Jaguaruna, pode entrar para o Calendário Oficial do Estado. De autoria do deputado estadual Pepê Collaço, a proposta ainda precisa passar pela Alesc. No momento, o projeto ainda tramita nas comissões parlamentares.

Adiamento negado     

20/06/2023 19h42 | Atualizada em 20/06/2023 19h42 | Por: Willian Reis

A defesa de Ponticelli tentou o adiamento da audiência marcada para segunda-feira, dia 26, sob o argumento de que não há a certificação da cadeia de custódia (em resumo, o registro metódico dos materiais coletados) de todos os vídeos e documentos existentes nos autos. A desembargadora negou o pedido. Disse que “inexiste qualquer indício de adulteração dos vídeos existentes nos autos”. E deu como exemplo: “quanto a suposto encontro para pagamento de propina flagrado em gravação, o próprio corréu Darlan Mendes da Silva, em sede extrajudicial, admitiu que no dia 14/09/2022 se encontrou com Altevir Seidel”. No esquema, Seidel é considerado “o mensageiro da propina”.

Cooperação

A prefeitura de Jaguaruna e a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade celebraram um Acordo de Cooperação. A assinatura do documento data da última terça-feira, dia 13, pelo secretário Jerry Edson Comper, da SIE, e o prefeito Laerte Silva dos Santos. Este Acordo de Cooperação consiste na liberação pelo Estado para manutenção com adição de material (saibro/areão) do acostamento das margens da SC-442, próximo ao bairro Riachinho. A autorização para que a prefeitura se responsabilize pela intervenção terá vigência de 365 dias.

Brunato e dr. Cristiano 

Na foto, o registro de um encontro, semana passada, entre o advogado e presidente do PSDB de Tubarão, Marcos Brunato, e o médico cardiologista Cristiano Ferreira. Foi uma conversa amistosa, considerada bastante proveitosa pelas partes. Sobre uma eventual filiação do dr. Cristiano, que está sem partido, ainda não há nada definido. Na eleição passada, ambos então candidatos, estavam em lados opostos, disputando a prefeitura contra Ponticelli. À época dr. Cristiano era do MDB.

Brasília

“Safados”, bradou o vereador Adair João da Silva, do MDB de Sangão, em relação a alguns deputados federais. O motivo da sua queixa foi que estes teriam recebido, meio de má vontade, um grupo de vereadores do município que esteve em Brasília na última semana em busca de recursos para Sangão. Fora isso, o saldo da viagem foi positivo, com grande expectativa de repasses para o município.

Folha Regional

Rua José João Constantino Fernandes, 131, São Clemente - Tubarão/SC - CEP: 88706-091

Folha Regional © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia
WhatsApp

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Ok, entendi!