Sexta-feira, 24 de maio de 2024
Tubarão
32 °C
17 °C
Fechar [x]
Tubarão
32 °C
17 °C
ESPORTE

VÍDEO: Polícia da Espanha prende 7 pessoas por ataques racistas contra Vini Jr.

Ao todo, 7 pessoas foram presas nesta terça por ataques racistas contra o jogador: 3 por gritos no domingo e outras 4 por boneco enforcado

23/05/2023 11h44 | Atualizada em 23/05/2023 11h44 | Por: Redação Folha Regional | Fonte: Metrópoles

A Polícia da Espanha anunciou que prendeu, nesta terça-feira, dia 23, três jovens acusados de ataques racistas contra o jogador brasileiro de futebol Vinícius Júnior, do Real Madrid.

Os suspeitos foram indiciados por gritos e gestos de “macaco” direcionados ao atacante durante disputa contra o Valencia, no último domingo, dia 21. Mais cedo, o órgão deteve outras quatro pessoas pelo caso do boneco enforcado que simulava o atleta, ocorrido em janeiro deste ano.

A partida no estádio Mestala chegou a ser paralisada por cerca de oito minutos, no 2º tempo, por causa dos atos criminosos contra o brasileiro. Ele denunciou nas redes sociais que é vítima de perseguição – no entanto, a Liga Espanhol de Futebol (La Liga) nada fez para impedir a violência e responsabilizar os culpados.

Os três presos integram um total de sete pessoas detidas esta manhã. Outras quatro pessoas também foram presas suspeitas de pendurar um boneco do jogador de futebol em uma ponte, como se ele estivesse sendo enforcado.

O ato foi realizado por torcedores do Atlético de Madrid, em janeiro deste ano, na véspera do confronto entre Atlético e Real pela Copa do Rei.“Eles têm 19, 21, 23 e 24 anos. Vários foram identificados durante partidas de alto risco em dispositivos da Polícia para a prevenção da violência no esporte”, informou a polícia espanhola em uma rede social.

O boneco foi pendurado em uma ponte próxima ao centro de treinamentos do Real Madrid. Havia ainda uma faixa com a frase “Madrid odia al Real” (Madri odeia o Real, como se a cidade odiasse o time de Vini).

Manifestação do governo

O chefe de Governo espanhol, Pedro Sánchez, também se manifestou nas redes sociais e pediu “tolerância zero contra o racismo”. Ele compartilhou um comunicado do Conselho Superior de Esportes espanhol, ligado ao Ministério da Cultura e Esportes do país. “O ódio e a xenofobia não devem ter lugar no nosso futebol ou na nossa sociedade”, prosseguiu.

No texto, o governo da nação europeia “expressa sua contundente e enérgica condenação aos insultos racistas que estão ocorrendo no campo do futebol e recorda seu papel ativo na luta contra a violência no esporte”.

O documento frisa ainda que o governo do país irá propor à Federação Espanhola de Futebol e à Primeira Divisão da La Liga o desenvolvimento de uma campanha de conscientização, da qual participarão capitães de clubes espanhóis.
 

Folha Regional

Rua José João Constantino Fernandes, 131, São Clemente - Tubarão/SC - CEP: 88706-091

Folha Regional © Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia
WhatsApp

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Ok, entendi!